Articles

Escola de Samba Unidos da Tijuca

Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos da Tijuca é uma escola de samba da Cidade do Rio de Janeiro. A Campeã de 2012.

Foto: Marco Antonio Teixeira/UOL

A escola é originada a partir de diversos morros da Tijuca, tendo sua sede no Morro do Borel. Atualmente possui uma quadra comercial localizada na Avenida Francisco Bicalho, no bairro do Santo Cristo, próximo à Rodoviária Novo Rio. Porém esta quadra, ao contrário do que muitos pensam, não é a sede oficial da escola. A oficial permanece no Borel, onde ainda são realizados ao menos 3 ensaios anuais, voltados especialmente para a comunidade.

Foi campeã do Grupo Especial do Carnaval em 1936, 2010 e 2012.

História

Fundada em 31 de dezembro de 1931, é uma das escolas de samba mais antigas do Brasil em atividade, mais nova apenas que Mangueira, Portela, Vai-Vai e União de Vaz Lobo. A agremiação surgiu a partir da fusão de blocos existentes nos morros das redondezas do Morro do Borel (comunidades da Casa Branca, Formiga e Ilha dos Velhacos). Mas o Morro do Borel é seu maior reduto, local de onde sai boa parte de seus componentes. Entre seus fundadores estão Leandro Chagas, João de Almeida, Pacífico Vasconcelos, Tatão, Alfredo Gomes, Marina Silva, Orlando da Costa Godinho (sócio no. 7 e quem possuía o "livro de ouro" na Muda), Zeneida Oliveira e Regina Vasconcelos.

Em 1936, a escola viveu seu grande momento: foi a grande campeã do carnaval carioca, com o enredo Sonhos delirantes. Naquele desfile, realizado na Praça Onze, a Tijuca trouxe uma inovação, apresentando alegorias aludindo o enredo.

 

                                          

 Foto: Marco Antonio Teixeira/UOL

 De 1960 a 1980, a escola enfrentou um período muito difícil, desfilando no segundo grupo e sem conseguir subir. Neste período, somente uma vez chegou perto de voltar ao grupo das grandes. Em 1980, a Tijuca reencontrou o caminho da vitória, sendo a campeã do Grupo 1B. Assim, voltava ao grupo principal do carnaval carioca.

Durante muitos anos, a escola não teve colocações muito boas, chegando a ser rebaixada algumas vezes. Na última vez, em 1998, homenageava o Vasco da Gama (clube de futebol e navegador). Em 1999, no Grupo de Acesso, a Tijuca fez um desfile memorável, com o enredo O Dono da Terra do carnavalesco Oswaldo Jardim, com um belo carnaval e um samba antológico, sendo reconduzida ao Grupo Especial.

Fez um grande carnaval em 2000, Terra dos papagaios… Navegar foi preciso!. O 5º lugar obtido foi o melhor resultado em quase 50 anos. No ano seguinte, cantou a vida e obra de Nélson Rodrigues e não obteve o sucesso do ano anterior.

Em 2002, homenageou a Língua Portuguesa e teve problemas com a última alegoria, que a fez terminar o desfile acima do tempo regulamentar e, com isto, foi punida com 0,2 na apuração. Ficou em nono lugar. no ano de 2003, um desfile que falava dos Agudás, também problemático em diversos quesitos, obteve a 9ª colocação.

A história da agremiação, pode ser dividida em duas partes: antes e depois de Paulo Barros, na sua chegada como carnavalesco da escola, surpreendeu e conquistou o vice-campeonato em 2004 com enredo que falava dos avanços da Ciência, tendo revolucionado a estética dos desfiles ao apresentar alegorias humanas, como o já clássico carro do DNA.

 

                                         

Foto: Marco Antonio Teixeira/UOL 

Em 2005, foi novamente vice campeã, com um enredo que falava de cidades e reinos do imaginário humano dessa vez ficando a apenas um décimo da campeã Beija-Flor, tendo sido a favorita do público e vencedora do Estandarte de Ouro de melhor escola.

Em 2006, mais uma vez a escola do Morro do Borel entrou como favorita no Sambódromo onde realizou um desfile vibrante. Com o enredo Ouvindo tudo que vejo, vou vendo tudo que ouço, do carnavalesco Paulo Barros, a escola assumiu o desafio de transformar o som em imagem. O desfile transcorreu perfeitamente, a escola foi premiada, ganhando, mais uma vez, o Estandarte de Ouro de melhor escola, porém amargou a sexta colocação. após o carnaval, a escola perdeu Paulo Barros, que transferiu-se para a Viradouro em 2007. O carnavalesco foi substituído pela dupla Lane Santana e Luiz Carlos Bruno.

Em 2007, a Tijuca superou todas as expectativas e manteve o estilo de Paulo Barros, provando que a escola é maior que qualquer carnavalesco. Ela desfilou com o enredo De lambida em lambida, a Tijuca dá um click na avenida, que falou sobre a fotografia, conquistando a quarta colocação, ficando ainda na frente da escola do ex-carnavalesco, a Unidos do Viradouro.

No carnaval de 2008, a azul e ouro da Tijuca falou sobre as mais diversas coleções que nós podemos ter. O enredo Vou juntando o que eu quiser, minha mania vale ouro. Sou Tijuca, trago a arte colecionando o meu tesouro que é assinado pelo carnavalesco Luiz Carlos Bruno, conquistando a quinta colocação.

Alegoria, no desfile de 2009.No carnaval de 2009, a escola do borel escolheu o enredo Uma odisseia sobre o espaço , de autoria de Luiz Carlos Bruno com texto de João Pedro Roriz e samba-enredo de Julio Alves e Totonho, terminou na 9º colocação.

 

                                          

Foto: Marco Antonio Teixeira/UOL 

Com o enredo É segredo! e a volta do carnavalesco Paulo Barros no carnaval 2010, a escola quebra o jejum de 74 anos sem o título do grupo especial e se torna a campeã do carnaval carioca pela segunda vez, levando ainda o Estandarte de Ouro como melhor escola. O maior destaque do desfile foi a comissão de frente, que agradou ao público e fez shows em vários eventos no Brasil.

Para o carnaval de 2011 a escola abordou o medo presente nos filmes com o enredo Esta noite levarei sua alma. Novamente veio na condição de favorita ao título. Na avenida fez um desfile impecável, com a notória criatividade do carnavalesco Paulo Barros, arrancando gritos de "É campeã!" do público presente. Acabou ficando com o vice-campeonato.

Para o carnaval 2012, num desfile correto e com um tema "sério", diferente do habitual da escola, Paulo Barros mostrou que sua criatividade funciona também com enredos comuns, entregando mais uma vez o título de campeã para a escola ao homenagear Luiz Gonzaga (O rei do baião). Após vários anos dando o samba-enredo de Julio Alves e Totonho, a escola do Borel escolheu o samba de Josemar Manfredini e cia.

Títulos

Grupo Especial: 1936, 2010 e 2012.
Grupo de Acesso: 1980, 1987 e 1999

Estandartes de Ouro

Total de 35 prêmios:

Escola: 2005, 2006, 2008 e 2010
Samba-Enredo: 2003
Enredo: 1981, 2002, 2003, 2004, 2005 e 2007
Bateria: 2006
Mestre-Sala: 2000
Porta-Bandeira: 2003, 2006, 2007 e 2011
Personalidade Feminina:1981
Personalidade Masculina:1981
Personalidade: 1991
Revelação: 1990 e 2004
Passista Masculino: 2009 e 2012
Passista Feminino: 1996
Samba-Enredo Acesso: 1975 e 1999
Puxador: 1991, 2005 e 2007
Comissão de Frente: 2002 e 2010
Ala de Baianas: 2002
Ala: 2012
Ala de Crianças:1989
Escola Acesso: 1987

                                          

 

Quer conhecer a Escola de Samba Unidos Da Tijuca? Faça uma visita!

Quadra
A. Francisco Bicalho nº47
Leopoldina - Rio de Janeiro/RJ

Telefone: (21) 2268-9679

Site: Escola de Samba Unidos da Tijuca

Fonte: Site UOL

Fonte: Unidos Da Tijuca - Wikipedia

 

Destaques